Demência vascular

demência vascular

Quais são as consequências da demência vascular?

A demência vascular é caracterizada por pequenas interrupções do fluxo sanguíneo, chamado de infarto, que ocorrem no cérebro ao longo da vida e que podem resultar na demência. A falta de sangue no cérebro leva a consequência neurológicas e que podem resultar em dependência, como por exemplo:

Quais são os sintomas da demência?

Por esse motivo, este tipo de demência é mais frequente em pessoas que tiveram um Acidente Vascular Cerebral (AVC), dando origem a sintomas como dificuldade para realizar atividades do dia-a-dia, perda de memória e dificuldade para falar.

Quais são as diferenças entre demência e delirium?

Demência afeta principalmente a memória, costuma ser causada por alterações anatômicas no encéfalo, tem início mais lento e, em geral, é irreversível. O delirium afeta principalmente a atenção, costuma ser causado por enfermidade aguda ou toxicidade por fármacos (às vezes com risco de morte) e, em geral, é reversível.

Como é diagnosticada a demência vascular?

A Demência Vascular é habitualmente diagnosticada através de um exame neurológico e técnicas de imagiologia cerebral como a tomografia computorizada (TC) ou a ressonância magnética (RM).

Quais são os sintomas da demência?

Por esse motivo, este tipo de demência é mais frequente em pessoas que tiveram um Acidente Vascular Cerebral (AVC), dando origem a sintomas como dificuldade para realizar atividades do dia-a-dia, perda de memória e dificuldade para falar.

Quais são as diferenças entre demência e delirium?

Demência afeta principalmente a memória, costuma ser causada por alterações anatômicas no encéfalo, tem início mais lento e, em geral, é irreversível. O delirium afeta principalmente a atenção, costuma ser causado por enfermidade aguda ou toxicidade por fármacos (às vezes com risco de morte) e, em geral, é reversível.

Qual é o tratamento? A demência não tem cura, exceto as demências reversíveis. Há casos raros, em que a causa da demência pode ser tratada. Porém, para a grande maioria dos casos, não existe um tratamento capaz de curar ou conter a evolução da doença.

Quais são os primeiros sinais de demência?

Postagens relacionadas: