Convento santa clara porto

convento santa clara porto

Onde fica o Convento de Santa Clara?

O Convento de Santa Clara localiza-se na cidade de Vila do Conde, distrito do Porto, em Portugal. Foi um convento feminino instituído em 1318 e extinto no século XIX. Do antigo conjunto, restam-nos a magnífica igreja em estilo gótico e parte do edifício conventual, reedificada parcialmente no século XVIII.

Onde fica a Igreja de Santa Clara?

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre. Portal lateral da igreja (à esquerda) e portal do Convento das Clarissas (à direita). A Igreja de Santa Clara é um templo católico localizado na freguesia da Sé, na cidade do Porto, em Portugal.

O que aconteceu com o Convento de São Paulo?

Após o Decreto de extinção das ordens religiosas (1834), a vida no convento foi-se apagando lentamente, até chegar ao seu termo em 1892, com a morte da última monja.

Qual a origem do nome convento?

Fachada do Convento de la Concepción de Ágreda, em Espanha. Trata-se de um convento de freiras da Ordem da Imaculada Conceição O termo convento, do latim conventus, que significa assembleia, advém originalmente da assembleia romana, onde os cidadãos se reuniam para fins administrativos ou de justiça ( convento jurídico; conventum juridicum ).

Qual é a primeira imagem do Convento?

A primeira imagem, de 1927, mostra o convento e a igreja ainda intactos, já a segunda, de 1929, o convento já completamente demolido e parte da estrutura da igreja já destruída. A última é da década de 1930 (clique nas imagens para ampliar).

Qual é a diferença entre convento e Mosteiro?

Por vezes, o termo Convento é confundido, erradamente, com Mosteiro. Convento é o termo usado para o edifício construído na malha urbana, normalmente delimitada por uma Muralha. A designação de Mosteiro aplica-se ao oposto, ou seja, para edifício construído fora da Cidade.

Por que os políticos paulistas desapropriaram a Igreja e o convento?

Foi ai que em 1927 as atenções dos políticos paulistas se voltaram para o local onde estavam localizados a igreja e o convento da Ordem Carmelitana. A pressão junto ao então governador de São Paulo, Júlio Prestes, foi tamanha que em 1928 ele determinou a desapropriação da área.

Postagens relacionadas: