Bronquiolite aguda

bronquiolite aguda

Quais as causas da bronquiolite?

A bronquiolite ocorre quase sempre quando um vírus infecta os bronquíolos, que são as menores das vias aéreas, ramificadas a partir dos brônquios – os principais tubos de respiração dos pulmões. Bronquiolite pode, eventualmente, também ser causada por infecção bacteriana, mas é raro.

Como contrair bronquiolite?

Também é possível contrair bronquiolite por meio de objetos compartilhados, tais como utensílios de cozinha, toalhas ou brinquedos. A intensidade dos sintomas típicos da bronquiolite costumam variar de criança para criança.

Como tratar bronquiolite na criança?

A frequência parece diminuir com a idade da criança. O tratamento da bronquiolite é de suporte, e a maioria das crianças pode ser tratada em casa com hidratação e cuidados gerais.

Quais são os diferentes tipos de vírus que podem ser diferenciados da bronqueolite aguda?

Existem, portanto, outro tipo de vírus que devem ser diferenciados da bronqueolite aguda e que o especialista identifica como sendo os quadros de hiperreatividade brônquica ou de asma. E reforça que o diagnóstico de uma bronquiolite assenta na ideia de que é um processo infeccioso, viral, agudo e autolimitado porque dura, em média, sete a dez dias.

Quais são os fatores de risco para a bronquiolite?

Bronquiolite pode, eventualmente, também ser causada por infecção bacteriana, mas é raro. A infecção viral faz com que os bronquíolos inchem e fiquem inflamados. O muco fica acumulado nos bronquíolos, o que dificulta o fluxo do ar para dentro e para fora dos pulmões.

Como identificar uma bronquiolite?

Como identificar uma bronquiolite? A bronquiolite começa como uma leve infecção respiratória. Depois de dois a três dias, a criança desenvolve ainda mais problemas respiratórios, incluindo chiado no peito e tosse. Retrações intercostais, em que os músculos ao redor das costelas afundam à medida em que a criança tenta respirar

O que é bronquiolite aguda?

A bronquiolite aguda (AB) é uma doença muito comum na infância. Sua incidência anual aproximada em qualquer lugar do mundo é de 10%. Ou seja, 1 em cada 10 crianças com menos de 2 anos a apresenta todos os anos. Além disso, é a causa mais comum de internação hospitalar por infecções respiratórias nessa faixa etária (1-5%).

Como prevenir bronquiolite?

A bronquiolite é uma doença contagiosa. Uma criança contrai o vírus causador da mesma forma que contrairia o vírus do resfriado e da gripe – no ar, geralmente após uma pessoa doente tossir, espirrar ou falar. Também é possível contrair bronquiolite por meio de objetos compartilhados, tais como utensílios de cozinha, toalhas ou brinquedos.

Como identificar uma bronquiolite? A bronquiolite começa como uma leve infecção respiratória. Depois de dois a três dias, a criança desenvolve ainda mais problemas respiratórios, incluindo chiado no peito e tosse. Retrações intercostais, em que os músculos ao redor das costelas afundam à medida em que a criança tenta respirar

Qual o melhor anticolinérgico para bronquiolite?

Por que as crianças têm mais riscos de contrair bronquiolite?

Isso porque o aparelho respiratório de crianças muito pequenas ainda não está totalmente desenvolvido, bem como o sistema imunológico. Por isso, bebês prematuros e crianças menores de um ano possuem os maiores riscos de contrair bronquiolite.

Como tratar bronquiolite em casa?

O tratamento caseiro para bronquiolite consiste na realização de medidas que ajudam a aliviar os sintomas do bebê ou da criança, mas em alguns casos, é necessário o uso de medicamentos indicados por um pediatra.

O que é bronquiolite em bebês?

Revisão médica: Drª. Beatriz Beltrame A bronquiolite é uma inflamação aguda das vias aéreas mais estreitas do pulmão, conhecidas como bronquíolos, que acontece com maior frequência em bebês com menos de 2 anos devido à uma infecção por vírus.

Qual é o prognóstico da bronquiolite?

O prognóstico é geralmente excelente, mas alguns pacientes desenvolvem apneia ou insuficiência respiratória. A bronquiolite costuma ocorrer em epidemias, especialmente em crianças < 24 meses, com pico de incidência entre 2 a 6 meses de idade. A incidência anual no primeiro ano de vida é de cerca de 11 casos/100 crianças.

loc

Postagens relacionadas: